Terceira praia fluvial do Alqueva “nasce” este ano no concelho de Portel

 

A terceira praia fluvial na albufeira do Alqueva vai “nascer” este ano no concelho de Portel, fruto de um investimento de meio milhão de euros, revelou o presidente do município.

 

“As obras já começaram com trabalhos de terraplanagem e limpeza do terreno”, indicou o presidente da Câmara de Portel, José Manuel Grilo, em declarações à agência Lusa.

 

A nova praia será a terceira do Alqueva, depois da abertura de outras em Monsaraz, no concelho de Reguengos de Monsaraz, e em Mourão.

 

Segundo o autarca alentejano, o projeto envolve um investimento de cerca de 400 mil euros, financiado pelo Programa Valorizar, do Turismo de Portugal, ao qual se acresce uma verba superior a 100 mil euros para arranjos da zona envolvente.

 

A futura praia fluvial vai situar-se “mesmo junto à aldeia da Amieira”, adiantou o presidente do município, esperando que os trabalhos fiquem concluídos, durante o mês de junho, a tempo da próxima época balnear.

 

José Manuel Grilo referiu que, após terraplanagens e limpeza do terreno, as obras incluem a colocação de areia, a criação das infraestruturas de eletricidade e água e a instalação de equipamentos de apoio.

 

A praia “vai ter um bar, casas de banho, equipamento de apoio para os nadadores salvadores e os chamados apoios de praia”, assim como “uma piscina flutuante para crianças”, assinalou.

 

De acordo com o autarca, a câmara municipal vai aproveitar o projeto para melhorar também as condições de um ancoradouro e de um parque de merendas, que já existem na zona.

 

O município planeia criar ainda uma outra praia fluvial junto à aldeia de Alqueva, que deu o nome à albufeira, disse José Manuel Grilo, indicando que já foram iniciados os estudos e que o projeto será concretizado no próximo ano.

 

As futuras praias fluviais são “um investimento estruturante”, considerou, mostrando-se otimista em relação à possibilidade de se atraírem mais visitantes “não só para o concelho, mas para todo o Alentejo”.

 

“Temos de utilizar, da melhor forma, as potencialidades do Alqueva em termos turísticos, já que não temos regadio no concelho, porque estamos numa zona de serra”, acrescentou.