Projeto para impedir ou tratar luto prolongado em idosos do Baixo Alentejo

O Serviço de Psiquiatria da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) integra um projeto internacional para impedir ou tratar, através de um programa ‘on-line’, o luto prolongado em idosos.

Segundo a ULSBA, trata-se do projeto “LEAVES”, que envolve oito parceiros de Portugal (três), Holanda (três) e Suíça (dois), e “pretende, através de um programa ‘on-line’ de luto, impedir o luto prolongado, ou tratá-lo, para que as pessoas mais velhas em luto possam levar uma vida ativa, significativa e digna”.

De acordo com o projeto, “a perda de um cônjuge é uma ocorrência frequente nos últimos estádios da vida” e, “enquanto a maioria dos idosos processa a perda com sucesso e retorna à vida normal”, “uma proporção significativa (25,4%) é incapaz de o fazer” e, por isso, “acaba por sofrer de luto prolongado”.

O luto prolongado é “uma condição em que os sintomas do luto ocorrem mais de seis meses após a perda” e “podem resultar em problemas mentais e físicos, como má qualidade do sono, problemas cardiovasculares, depressão, solidão e tendências suicidas”.