PJ investiga tentativa de desembarque de haxixe após perseguição falhada no Algarve

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar uma tentativa de desembarque de haxixe ao largo da costa algarvia, após uma perseguição falhada em alto mar aos tripulantes de quatro lanchas rápidas.

Na terça-feira, a Polícia Marítima, na sequência de informação da Força Aérea Portuguesa transmitida pela PJ, recolheu “12 fardos de haxixe, após perseguição a quatro embarcações de alta velocidade, alegadamente ligadas ao narcotráfico”, adianta um comunicado da PJ.

Em declarações à Lusa, fonte da PJ referiu que a operação foi desencadeada “ao final do dia” e já em “águas internacionais”, a cerca de 50 milhas, ou seja, aproximadamente 92 quilómetros, a sul da barra de Faro-Olhão.

Segundo a mesma fonte, foi feita uma abordagem aos tripulantes, que se colocaram em fuga e “largaram no mar os fardos de haxixe para conseguirem fugir com mais velocidade”, estando agora a PJ a “recolher e a analisar” informação sobre o caso.

“A PJ está a tentar fazer a ligação da origem [da droga], qual era o seu destino e quem eram os envolvidos nesta tentativa de desembarque”, referiu, acrescentando que o haxixe terá sido transportado a partir do norte de África.