Parte da área ardida na serra de Monchique começou a ser renaturalizada

A primeira fase do processo de renaturalização de uma faixa de 250 hectares da área afetada pelo fogo na serra de Monchique, em 2018, iniciou-se esta terça-feira ao abrigo de um projeto que reúne entidades públicas e privadas.

Segundo os parceiros do projeto Renaturalizar Monchique esta renaturalização do território será feita com espécies autóctones e outras resilientes ao fogo, estimando-se que a área possa aumentar com mais donativos e comparticipações da sociedade civil.

Um dos parceiros do projeto, a companhia de aviação irlandesa Ryanair, entregou um donativo de 250 mil euros para apoiar a renaturalização da serra de Monchique, devastada por um grande incêndio em agosto passado, o maior registado na Europa em 2018, consumindo 27.000 hectares.

No projeto são parceiros, além da Ryanair, o Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA), Região de Turismo do Algarve (RTA), Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e Câmara Municipal de Monchique.