Loulé instala no concelho rede de desfibrilhação inédita no país

O concelho de Loulé vai ser o primeiro do país a ser dotado de uma Rede Concelhia de Desfibrilhação Automática Externa, tendo o protocolo sido assinado esta segunda-feira para o programa entrar em funcionamento em julho.

A garantia foi dada por Nuno Marques, presidente do conselho executivo do Algarve Biomedical Centre (ABC), o Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve, que junta a Universidade do Algarve e o Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA).

O cardiologista explicou que o objetivo é conseguir obter uma resposta mais rápida no auxilio médico e salvar mais vidas, até porque, salienta, “oito minutos depois de uma paragem cardíaca já não há nada a fazer, porque o cérebro não consegue estar mais tempo sem ter a oxigenação adequada”, alertou.

O protocolo foi assinado entre a Câmara Municipal de Loulé e o Algarve Biomedical Centre, no âmbito das comemorações dos 20 anos da cidade de Quarteira.

A Rede de Desfibrilhação Automática Externa – Coração Seguro, está prevista entrar em funcionamento a partir de julho, sendo que as ações de formação, que também vão envolver a população civil, começam no início no próximo mês de junho.

O sistema utiliza a geolocalização dos telemóveis para detetar os doentes, em articulação com as equipas do INEM, que vai ativar as pessoas que possam estar nas proximidades, de forma a poderem intervir com mais rapidez no salvamento até à chegada da respetiva equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica.

Loulé é o primeiro concelho a avançar para a concretização deste projeto, para a colocação numa fase inicial de 60 aparelhos distribuídos por vários pontos estratégicos, com um investimento inicial de cerca de 100 mil euros.