Lar de Ourique está a funcionar “normalmente” após “pequeno incêndio”

O lar da Santa Casa da Misericórdia na vila de Ourique está esta quarta-feira a funcionar “normalmente” após um “pequeno incêndio” na terça-feira à noite, que obrigou à retirada temporária de utentes “por precaução”, disse à Lusa o provedor.

“Foi um pequeno incêndio” que “afetou apenas a sala de refeições situada no rés-do-chão” e “todos os utentes estão bem e no lar”, que está a funcionar “normalmente”, afirmou José Raul dos Santos, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Ourique.

O incêndio deflagrou na sala de refeições situada no rés-do-chão, onde ficou circunscrito, não tendo afetado outras zonas do lar, explicou, referindo que “arderam quatro mesas, 11 cadeiras e um cortinado” e os prejuízos estão a ser avaliados.

Segundo o provedor, a sala afetada vai ser alvo de limpezas após concluídas as perícias necessárias para se apurarem as causas do incêndio e, até poder ser novamente usada, as refeições vão ser servidas apenas nas outras duas salas de refeições situadas nos 1.º e 2.º andares do lar.

José Raul dos Santos relatou à agência Lusa que “foram retirados 68 dos 82 utentes do lar por precaução” e temporariamente, porque o comandante dos bombeiros “achou que era melhor, devido ao fumo”, que se espalhou pelos três andares do edifício.

O provedor disse desconhecer as causas do incêndio, que estão a ser investigadas pelas autoridades.

Contactado hoje pela Lusa, o presidente da Câmara de Ourique, Marcelo Guerreiro, disse que “foi um grande susto, mas o mais importante é que não houve vítimas e os utentes do lar estão bem”.

O incêndio deflagrou na sala de refeições no piso do rés-do-chão, cerca das 21:00 de terça-feira, “mas o fumo espalhou-se pelos três andares do edifício, o que levou à retirada” de idosos, os quais regressaram ao lar entre as 00:30 e a 01:00 de hoje, depois de as chamas terem sido extintas às 23:50 e de a situação estar resolvida, disse o comandante dos bombeiros, Mário Baptista.

Segundo o responsável, dos 68 utentes do lar retirados temporariamente, um deles foi encaminhado para o seu domicílio e os restantes foram levados para o centro de convívio da câmara, quartel dos bombeiros e creche e jardim-de-infância da Santa Casa.

No local estiveram 76 operacionais de várias corporações de bombeiros do distrito de Beja, apoiados por 33 veículos, e a viatura de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Castro Verde, além da GNR.