Lagoas de Santo André e de Melides abertas ao mar esta tarde

Foto: CMSC/Duarte Gonçalves

 

A abertura das lagoas de Santo André e de Melides ao mar, no litoral alentejano, é feita esta terça-feira, numa operação que pretende melhorar a qualidade da água e renovar as espécies.

 

“Escolhemos esta altura do ano por estar associada ao equinócio da primavera, com marés de grande amplitude que permitem renovar as massas de água que entram nas lagoas, melhorar a qualidade da água e contribuir para a manutenção da fauna”, explicou à agência Lusa André Matoso, diretor da Administração da Região Hidrográfica (ARH) do Alentejo, integrada na Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

 

Habitualmente com muitas pessoas a assistir, a abertura artificial da Lagoa de Santo André, no concelho de Santiago do Cacém, e da Lagoa de Melides, no concelho de Grândola, é de “extrema importância para os ecossistemas e gestão dos recursos hídricos”, sublinhou o responsável.

 

A operação, que consiste na abertura de um canal entre o corpo lagunar e o mar, com “recurso a maquinaria pesada” e “escavado abaixo da cota de fundo”, é coordenada pela APA em articulação com o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a colaboração da Capitania do Porto de Sines.

 

A APA prevê que o rompimento da barra arenosa, que separa do mar o corpo lagunar da Lagoa de Melides, em Grândola, aconteça entre as 14:30 e as 15:30, estando previsto entre as 15:30 e as 16:00 a conclusão da abertura da Lagoa de Santo André, em Santiago do Cacém.

 

O momento em que as águas do mar e da Lagoa se encontram entusiasma todos, entre aplausos os surfistas e bodyboarders aproveitam a onda estática, formada pela ligação, e proporcionam um espetáculo único.