Inquérito conclui terem sido furtadas máscaras de proteção do hospital de Elvas

As máscaras de proteção desaparecidas, no início deste mês, do hospital de Elvas foram furtadas, segundo as conclusões do inquérito interno instaurado pela Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA).

“Este inquérito concluiu pela existência de furto de máscaras de proteção”, lê-se num comunicado enviado à agência Lusa pela ULSNA, de que faz parte o Hospital de Santa Luzia, em Elvas.

A ULSNA, que instaurou o processo de inquérito no dia 02 deste mês, adianta que já “determinou dar conhecimento oficial” às entidades policiais e “reforçar” as medidas de segurança na unidade hospitalar raiana.

O vogal executivo do conselho de administração da ULSNA, Joaquim Araújo, admitiu à Lusa, na altura dos acontecimentos, que o desaparecimento das máscaras de proteção no serviço de Medicina do hospital poderá estar relacionado com o novo coronavírus (Covid-19).

“Esta situação poderá ter a ver com esta problemática [surto de Covid-19] e as pessoas, especialmente os funcionários, numa atitude defensiva, julgamos nós, tomam esta medida, mas só o inquérito eventualmente poderá esclarecer”, disse na altura.

Joaquim Araújo não quantificou o número de máscaras de proteção que desapareceram do serviço de Medicina do hospital.

No entanto, garantiu que a situação “não põe em perigo qualquer fornecimento aos serviços”, afastando a possibilidade de ser feito comércio com as máscaras.