Infraestruturas de Portugal defende traçado para mercadorias escolhido entre Sines e Elvas

A escolha do traçado da futura ligação ferroviária de mercadorias do Corredor Internacional Sul Sines-Elvas (Caia), apesar da proximidade da cidade de Évora, decorreu da avaliação ambiental, afirmou, no parlamento, o presidente da Infraestruturas de Portugal.

Segundo António Laranjo, a Infraestruturas de Portugal (IP) coordenou a elaboração de “todos os estudos que permitiram à APA [Agência Portuguesa do Ambiente] fazer a avaliação que lhe compete e decidir” sobre o melhor traçado para o subtroço Évora-Évora-Norte da futura ligação ferroviária.

O dirigente da IP, que falava numa audição da comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, em Lisboa, a pedido do BE e PCP, admitiu que a escolha recaiu numa solução próxima da zona urbana, mas as preocupações estão na minimização dos impactos para “as pessoas”.

O subtroço Évora-Évora Norte faz parte do Corredor Internacional Sul, com a conclusão da obra programada para o primeiro trimestre de 2022, num investimento de 509 milhões de euros, quase metade de fundos comunitários.