Greve Motoristas: E se o pão alentejano faltar à mesa!

O tradicional pão alentejano não deverá faltar nos próximos dias, por as empresas terem ‘stocks’ de farinha e de combustível, mas deixará de “enriquecer” as mesas se a greve dos motoristas se prolongar.

A Lusa fez uma ronda padarias de Évora, Beja e Portalegre e concluiu que não foi demonstrada ainda preocupação com a greve, tanto quanto à produção, como à distribuição deste produto identitário do Alentejo.

No entanto, se a paralisação se estender no tempo, os padeiros receiam que comece mesmo a “faltar pão”.

A partir de Beja, a Fermentopão vende diariamente “cerca de cinco mil pães”, distribuídos sobretudo nesta cidade e em Moura, Évora, Lisboa e Algarve, tendo o dia corrido hoje “de forma normal”.

“Durante os próximos três ou quatro dias, vai estar tudo tranquilo, mas, se a greve continuar, vai ser complicado”, disse à Lusa o responsável pela Produção e Qualidade da empresa, Luís Ferreira.

Já “estão alguns postos de combustível encerrados” em Beja e “outros estão a trabalhar com serviços mínimos”, pelo que “pode ser complicado abastecer a frota” de distribuição, constituída por 15 carrinhas, “se a greve durar muitos dias”.

No distrito de Évora, nas pastelarias e padarias de Viana do Alentejo, o cenário tem sido de normalidade, com o pão nas prateleiras e sacos distribuídos pelos padeiros e os clientes a dirigirem-se aos estabelecimentos para comprarem a quantidade habitual.

Em Portalegre, Ricardo Lourenço, que fornece pão em vários distritos, incluindo Lisboa, garantiu à Lusa que possui ‘stock’ de farinha “para um período de 15 dias”.

O empresário não se manifesta muito preocupado com a falta de combustíveis, uma vez que poderá abastecer as viaturas “a meia dúzia de quilómetros”, em Espanha.

Os motoristas cumprem uma greve marcada por tempo indeterminado com o objetivo de reivindicar junto da Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram) o cumprimento do acordo assinado em maio, que prevê uma progressão salarial.