Grande rota pedestre do Guadiana com mais de 55 mil passagens em 2021

Um número superior a 55 milhares de passagens foi registado em 2021 na Grande Rota do Guadiana, percurso pedestre para promover o turismo de natureza criado pela Odiana, Associação de Desenvolvimento do Baixo Guadiana, foi anunciado esta quarta-feira.

A Grande Rota do Guadiana (GR15) prolonga-se por 165 quilómetros, atravessando áreas de Vila Real de Santo António, Castro Marim e Alcoutim, entre o litoral e a serra, num total de 17 localidades, no distrito de Faro, estendendo-se até ao concelho de Mértola, já no distrito de Beja.

Em comunicado, a Odiana adianta que no ano passado a rota registou “55.539 as passagens de pedestrianistas”, número “elevado” e que “confirma a aposta” no turismo de natureza e “na promoção do pedestrianismo e apetrecho de estruturas pedestres”, referiu a associação criada por aqueles três municípios.

Além da aposta na preparação dos percursos, foi também feita uma aposta em “sistemas de contagem” para dotar a associação de “dados estatísticos” para “avaliar o impacto deste recurso, de forma a delinear estratégias futuras no desenvolvimento do Baixo Guadiana”, acrescentou a Odiana, criada para promover o desenvolvimento no Baixo Guadiana.

“Os dados foram aferidos através de um sistema avançado de monitorização na Grande Rota do Guadiana que permite a contabilização do número real de utilizadores. Fornece ainda informação útil sobre a carga de utilização dos troços, permitindo minimizar o impacto no meio envolvente e garantindo a sustentabilidade dos recursos”, precisou a mesma fonte.

A mesma fonte referiu que esta ação de monitorização contou com apoio comunitário do Programa Interreg V-A Espanha- Portugal (POCTEP) 2014-2020 e foi cofinanciado pelo Fundo de Desenvolvimento Regional (FEDER).

No entanto, o “projeto, bem como os equipamentos e sistema de monitorização, foram instalados pela associação Odiana, com o apoio dos municípios de Castro Marim, Vila Real de Santo António e Alcoutim”.

A GR15 começou a ser criada em 2015 para promover a “paisagem, o património, a aventura e a atividade física ao ar puro” e conta com uma “oferta de percursos pedestres” que “aproximam” o litoral ao interior serrano do Algarve.

No percurso, os praticantes de pedestrianismo podem ter contacto com “elementos históricos, patrimoniais e naturais”, que começam nas “praias a sul” e acabam nas “paisagens serranas a norte”, acrescentou.

O “contacto com o rio Guadiana”, a “observação da diversidade de fauna e flora” são também pontos de interesse da GR15, que serve também como “ponto de ligação e convergência à Ecovia em Vila Real de Santo Antóbio e à Via Algarviana (GR13) em Alcoutim”, concluiu a mesma fonte.