Covid-19: Reguengos de Monsaraz inicia desinfeção dos lares de idosos do concelho

A Câmara de Reguengos de Monsaraz iniciou esta semana a desinfeção preventiva de todos os lares de idosos do concelho, depois de confirmado o contágio de duas funcionárias por covid-19.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o município indicou que a operação de desinfeção está a ser executada por uma empresa “em articulação com a Proteção Civil Municipal, entidades e responsáveis técnicos de cada lar”.

Os trabalhos, segundo a autarquia, consistem na “nebulização dos espaços com um produto desinfetante que atua anulando qualquer contaminação”.

“Este produto deixa uma película protetora nas superfícies durante vários dias, resiste a lavagens frequentes e é inócuo para os utilizadores, permitindo que as valências funcionem normalmente”, explicou.

A desinfeção preventiva dos lares de idosos avançou depois de duas funcionárias do Centro Social e Paroquial do Sagrado Coração de Jesus, em Campinho, concelho de Reguengos de Monsaraz, terem recebido a confirmação de que estavam infetadas com o novo coronavírus.

Contactado hoje pela Lusa, o presidente da instituição, Manuel José Marques, adiantou que os restantes funcionários e ele próprio já realizaram os testes à covid-19 e que os resultados deram negativo.

O mesmo responsável adiantou que os 39 idosos a quem o Centro Social e Paroquial do Sagrado Coração de Jesus presta apoio efetuaram os testes na quinta-feira de manhã e aguardam os resultados.

Com 17 funcionários, o Centro Social e Paroquial do Sagrado Coração de Jesus, que possui as valências de estrutura residencial para idosos, serviço de apoio domiciliário e centro de dia, acolhe 39 utentes.

A Câmara de Reguengos de Monsaraz informou ainda que procedeu à instalação, em conjunto com a Cruz Vermelha Portuguesa, de uma zona de acolhimento de reforços operacionais com 30 camas no Pavilhão Multiusos do Parque de Feiras e Exposições.

Este espaço, referiu o município, fica preparado para, se for necessário, acolher elementos da proteção civil e profissionais de saúde, ficando ainda de reserva mais 35 camas que podem ser colocadas.