Cidade Lacustre de Vilamoura suspensa pela CCDR Algarve

Foto: CCDR Algarve

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve suspendeu o procedimento de avaliação de impacte ambiental da Cidade Lacustre de Vilamoura, para que o promotor altere o projeto e reduza os efeitos negativos no ambiente.

Numa nota enviada hoje às redações, o vice-presidente da CCDR/Algarve, Nuno Marques, referiu que a suspensão foi determinada por um período máximo de seis meses, “a fim de o promotor poder equacionar a modificação do projeto para evitar ou reduzir os diferentes efeitos negativos no ambiente suscitados no parecer da comissão de avaliação do Estudo de Impacte Ambiental (EIA)”.

O projeto obriga ao desvio do vale Tisnado, o desassoreamento da foz da ribeira de Quarteira e a construção de um dique de proteção contra cheias, ao longo de 1.998 metros de comprimento e apresentando uma variação entre os 15 e os 170 metros de largura.

O loteamento engloba também as ruínas romanas do Cero da Vila, património arqueológico que será cedido ao município de Loulé.