Câmara de Vendas Novas entrega oposição jurídica a providência cautelar de empresa

A Câmara de Vendas Novas entregou no Tribunal Administrativo e Fiscal de Beja a oposição jurídica à providência cautelar interposta por uma empresa local, à qual o município tinha fechado o coletor de esgotos, anunciou a autarquia.

Este município alentejano revelou que fez chegar ao tribunal “os fundamentos legais para oposição à providência cautelar” da Extraoils, 4 The Future, “a qual fez com que a autarquia fosse obrigada a reabrir o coletor de esgoto que serve as instalações da empresa”.

“Se esta decisão se prolongar, será gravemente prejudicial e lesiva do interesse público”, alertou a câmara, argumentando que “está em causa a defesa do correto funcionamento” da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) da cidade e “o fim do cheiro nauseabundo e irrespirável que afetou zonas populacionais próximas da mesma”.