Autarca de Grândola alerta para falta de condições do quartel da GNR

 

O presidente da Câmara de Grândola alertou para a falta de condições do quartel da Guarda Nacional Republicana (GNR), que está “bastante degradado” e com camaratas que “não oferecem segurança” aos militares.

 

“O quartel onde está instalado o destacamento territorial da GNR é um edifício muito antigo e completamente degradado, de tal forma que algumas das camaratas não apresentam condições, tendo a câmara arrendado um edifício onde pernoitam oito militares”, explicou à agência Lusa o presidente do município de Grândola, António Figueira Mendes.

 

Segundo o autarca, “é uma questão que se arrasta há pelo menos dois anos e, entretanto, os militares são obrigados a viver e a trabalhar em péssimas condições, porque tanto os gabinetes de trabalho, como as camaratas e os quartos estão degradados”.

 

Em alternativa, António Figueira Mendes voltou a defender a transferência “urgente” do destacamento territorial, que abrange os concelhos de Grândola e Alcácer do Sal, no distrito de Setúbal, para as instalações da antiga concessionária ‘Estradas da Planície’, junto ao Bairro da Tirana, na vila de Grândola.

 

A falta “de meios humanos e materiais”, nomeadamente de viaturas da GNR, foi outra das preocupações levantadas pelo autarca, que teme “pela segurança” das populações devido “à extensão do território”.