Associação exige mais fiscalização para evitar furtos de azeitona no Alentejo

 

A Olivum – Associação de Olivicultores do Sul exigiu esta quinta-feira mais fiscalização nos postos de receção de azeitona. O objetivo é evitar os furtos que têm vindo a aumentar nos olivais do Alentejo e “ameaçam” o setor.

 

Num comunicado enviado às redações, a Olivum manifesta preocupação face ao “aumento de roubos de azeitona no Alentejo” e alerta para a “falta de fiscalização no processo de receção”.

 

A associação alerta ainda para a necessidade de as entidades competentes “agirem de forma eficaz” e de haver “um aumento de fiscalização em postos de receção”.

 

A Olivum refere que “muitos” dos seus associados, que representam mais de 32 mil hectares de olival no Alentejo, “sentem que o setor é ameaçado”, devido aos furtos de azeitona nas herdades, que são “favorecidos pela existência de empresas que aceitam toda a azeitona, mesmo que de origem duvidosa”.

 

A Olivum condena os furtos de azeitona que têm ocorrido nos olivais do Alentejo na atual campanha olivícola de 2018/2019, que decorre até meados de fevereiro.